VIH e SIDA

VIH

Os riscos de transmissão não acontecem por comportamentos sociais tais como abraçar, beijar apertar a mão ou até mesmo beber pelo mesmo copo.
Prevenir VIH – A infecção pode ser prevenida:
– Deverá utilizar preservativo nas relações sexuais;
– Não partilhar escovas de dentes, laminas de barbear, agulhas, ou outros utensílios que possam estar em contacto com fluidos contaminados;
– A mãe seropositivo deverá efetuar o tratamento para diminuir o risco de contágio ao realizar uma terapêutica adequada durante a gravidez e o parto e evitando o aleitamento.

Diagnóstico – Quem deve fazer o teste
Devem realizar o teste VIH todas as pessoas, a  quem lhe poderá ter acontecido alguma situação abaixo descrita:
– relações sexuais desprotegidas (sem preservativo);
– partilha de seringas ou outro utensílios de drogas;
– contacto com sangue de outra pessoa.

Como se realiza o teste de diagnóstico?

O diagnóstico faz-se a partir de análises sanguíneas específicas para o VIH num laboratório de análises clínicas.. Esta análise detecta os anticorpos que o sistema imunitário produz contra o vírus, ou mesmo o próprio vírus.

Se já passou por alguma situação que possa necessitar de realizar o teste, saiba que este apenas se poderá fazer após 3 a 10 semanas após o contacto.
Tratamento – Terapêutica Anti-Retrovírica

Não há ainda uma cura para a infecção pelo VIH e SIDA. Os tratamentos que existem apenas passam pela administração de uma terapêutica anti-retrovírica.
Esta terapêutica é grátis e de distribuição hospitalar. O tratamento com medicamentos anti-retrovíricos deve ser um tratamento continuado por forma a não aumentar por mais pessoas. As pessoas para além de terem acesso a terapêuticas medicamentosas, podem precisar de apoio psicológico e ou social.

Apoio psicológico e social

O diagnóstico de infecção por VIH pode provocar um conjunto de emoções com as quais pode ser difícil lidar: ansiedade, negação, depressão, medo.

Outros artigos relacionados:



Deixe o seu comentário

Deixe o seu comentário, ou efectue uma ligação para este artigo.
Poderá também subscrever estes comentários via RSS.

O seu e-mail nunca será publicado. Os campo obrigatórios estão assinalados como um *