Hepatite B

Hepatite B

Hepatite B

A Hepatite B é uma infecção víral que ataca o fígado e pode causar doença aguda ou crónica. O Vírus da Hepatite B (VHB) é extremamente contagioso, sendo as suas principais vias de transmissão: os fluidos genitais (esperma e secreções vaginais), fluidos corporais (sangue, urina e saliva), e o leite materno.

Assim como a Hepatite B é a mais perigosa de todas e pode-se morrer de cirrose ou/e cancro do fígado por outro lado pode ser eliminada pelo organismo. Cerca de 90% dos adultos saudáveis que são infectados com Hepatite B conseguem recuperar e libertar-se do vírus num período de 6 meses.

Comportamentos de Risco:>
– Relações sexuais vaginais contracepção (preservativo);
— Partilhar seringas;
– Sexo oral /anal não protegido;
– Partilha de agulhas em contexto hospitalar;
– Partilha de objetos pessoais como escovas de dentes ou lâminas de barbear

Este vírus é tão resistente que pode sobreviver fora do organismo por um período de 7 dias. O período de incubação do vírus é em cerca de 75 dias, podendo variar entre 30 a 180 dias. O vírus apenas é detetado entre 30 a 60 dias após a infeção e continua por períodos de tempo que pode variar.

Sintomas
Em cerca de 90% dos casos a Hepatite B é assintomática, significa que a pessoa não não apresenta sintomas. Por outro lado existem outras pessoas que têm a doença aguda e os seus sintomas duram por semanas: febre, extrema fadiga, vómitos, náuseas, dor abdominal, dores nas articulações, erupções na pele, icterícia (pele e olhos amarelados), urina escura e fezes claras.

A Hepatite B pode causar doença crónica no fígado, que pode levar mais tarde a uma cirrose ou cancro no fígado.

Tratamento
Não existe medicação para combater diretamente o agente da doença, apenas se pode tratar os sintomas e as suas complicações.

Uma intervenção precoce é fundamental para evitar o contágio e para poder ajudar o paciente no tatramaneto da mesma.

Prevenção
A vacina para a Hepatite B é o meio mais seguro e eficaz de prevenção. É constituída por três doses.

Outros artigos relacionados:



Deixe o seu comentário

Deixe o seu comentário, ou efectue uma ligação para este artigo.
Poderá também subscrever estes comentários via RSS.

O seu e-mail nunca será publicado. Os campo obrigatórios estão assinalados como um *